quarta-feira, 11 de agosto de 2010

0 Noticiario-Periferico.com Entrevista Jessica Valeriano

" É melhor um jovem com um microfone na mão se expressando e desabafando do que com uma arma na mão"

 Hoje No Quadro de Entrevista do Blog esta a Jovem Mc Jessica Valeriano de Minas Gerais - Uberaba...Ela Fala Sobre começo de sua carrera....a Cena Hip Hop Feminina...Sobre a guerra do Underground e Comerciale como Cantou na Casa de Hip Hop em Diadema....Entre outros Assuntos Veja.
Hebreu - Pra Começa Se Apresente e Diga Quem é Jessica Valeriano?

Jessica:  Sou a Jéssica Barcelos Valeriano, mas uso o nome de Jéssica Valeriano para divulgação do meu trabalho atualmente como MC,  sou de Uberaba MG, estudante de Ciências Sociais, aprendiz de graffiteira e que de as vez  tenta andar de skate(hehehehehe...só tento).


Hebreu - Fiquei Sabendo q Voce Participava de uma Banda de Punk Rock Procede?..Voce Cantava Nesta Banda?

Jessica: Sim, mas eu não era vocalista, eu era guitarrista, essa banda se chamava D.I.U. (Dispositivo Intra-Uterino) e era uma banda formada só por meninas, essa época foi dos meus 15 anos até os 17 e começo dos 18 anos, mas a banda acabou e depois montei outra banda e comecei a tocar baixo e fazer back vocal, com uns amigos, e depois tive outra banda de metal só de meninas também mas a banda também acabou, vocal eu nunca tinha feito antes. Mas eu sempre fiz letras de música mesmo não sendo vocalista, o problema é que nunca dava certo de alguém cantar o que eu escrevia , acabou que minhas poesias ficaram engavetadas e nunca mostrei pra ninguém, e eu sentia que precisava colocar aquelas letras em prática, foi quando eu comecei a me envolver com o hip hop, já curtia rap antes, mas não me envolvia com o movimento como estou hoje envolvida.

Hebreu - Como Foi Que Voce Teve Contato com o Rap/HipHop? e Porque Resolveu cantar Rap ja que era de uma Banda de Punk Rock..Assim nada Contra, mas sao Ritmos bem diferentes...Continos o Motivos.

Jessica: São ritmos diferentes mas tem muita coisa em comum também, que é o protesto, a indignação com muita coisa, tem muita coisa haver sim, com relação a temas de músicas, ambos os estilos são bem politizados e que contestam algo, afinal o punk no Brasil começou também nas periferias na década de 80 nas grandes cidades, São Paulo principalmente, mas hoje não é assim se tornou algo elitista, mas seu inicio foi periférico. Conhecia já o rap e também curtia graffiti , visitava muitos myspaces e ficava ouvindo os sons, ou então tinha amigos que curtia sabotage e  MVBill, inclusive alguns amigos que tive banda ouvia muito também, justamente por ser protesto, e comecei a gostar também, mas que eu comecei a fazer os sons mesmo foi quando conheci o Jonas que faz as produções dos beats das minhas músicas.

Hebreu - Quais Suas Influencias Musicas No Rap e Fora do Rap?

Jessica: No rap eu gosto do Actitud Maria Marta que inclusive fui num show delas em São Vicente que adorei,  Visão de Rua e Dina Di, RZO, Sabotage, SNJ, GOG, Z’Africa Brasil, Marechal, Criolo Doido, Beastie Boys, Cypress Hill, Das EFX, Tupac, Flora Matos, Mamelo Sound System,  Asian Dub Foundation, Common, Elo da Corrente, Lauryn Hill, MVBill, Thaide e DJ Hum, Pentagono, lurdez da luz, Josh Martinez, Pavilhão 9...De rock que ainda escuto atualmente internacional é  Rage against the machine, P.O.D., Limp Bizkit, Deftones, Nofx, Sonic Youth. Nacional eu sempre escuto Dominatrix, Bulimia, Ratos de Porão, Sepultura, Cólera, Restos de Nada . Gosto também de samba e MPB, Cartola, Bezerra da Silva, Clara Nunes, Andoniran Barbosa, Elis Regina, Chico Buarque, Milton Nascimento,Jorge Ben, Tim Maia... Gosto de alguns sons da época Tropicália do Brasil dos anos 70 tipo Novos Baianos, Secos e Molhados, Doces Bárbaros...Gosto de Pink Floyd , Bob Marley, Janis Joplin, Jimi Hendrix...É tanta coisa que escuto e gosto...Putzzz...se for falar aqui não cabe na página....HAHAHAHAHAHA...

Hebreu - Quais Tipos de Temas Aborda em Suas Letras?

Jessica: Não tenho temas fixos, é coisa de momento mesmo.


Hebreu -  Neste Momento quais os Teus Objetivos a Nivel Pessoal e Profissional?

Jessica: Quero lança um cd, gravar mais alguns sons que estão prontos falta só gravar, quero concluir minha faculdade que estou na metade do curso já, um dia quem sabe lançar um clip, talvez já começar a dar aula de sociologia em alguma escola, começar a escrever projetos sociais ligado ao hip hop mas com um cunho pedagogico (isso quando já for contratada pra dar aula em algum lugar, ou seja, não é nada certo mas estou fazendo meus corres pra isso), quero montar uma banda pra fazer meus sons(mas agora rap) , quero arrumar um DJ que infelizmente em Uberaba ta difícil de conseguir, tem muito poucos aqui...


Hebreu - O que Acha desta Guerra Entre Musica Comercial VS Underground? e como classifica fica Teu som?

Jessica:  Nem sei qual a classificação, como diria o poeta,” quem se define se limita”, então eu procuro fazer meus sons de coração, seja comercial ou não , a música tem que ser verdadeira, independente de ser comercial, underground, gangsta, não esquento muito com isso, e vejo que a música comercial tem esse lance de ser muito superficial a maioria das vezes por ter essa necessidade de vender rápido...Mas em fim se a música é sincera, ela não sai , ela fica...

Hebreu - Como Voce ve a Cena do Hip Hop Femino? Ainda Tem Muito Machismo no Hip Hop?

Jessica: Em Uberaba já tiveram antes de mim outras mulheres que fizeram a cena, mas que hoje estão mais afastadas, Zanza, Hêlo, Patricia... Mas atualmente não tenho visto nenhuma delas fazer som, a não ser que eu não saiba, muitos falam que atualmente sou a única menina a fazer parte da cena, mas não sei se existe outra, e até gostaria que existisse...Hoje muitos me respeitam na cidade, mas muitas vezes o maior preconceito vem das próprias mulheres que vêm o movimento superficialmente, e não conhece meus idéias e meus valores, acham que pelo fato de eu ter muitos amigos homens acham que sou promiscua, e muitos pelo contrario, sou uma pessoa que não curte esse tipo de coisa, tenho minha postura e procuro sempre respeitar, mas não ligo pra isso e , na real, isso é o que me dá animo para continuar, pois vejo que tenho um papel de quebrar essa barreira , esse obstáculo... É  assim devido aos valores conservadores desta cidade interiorana que é Uberaba, é uma cidade muito tradicionalista, e infelizmente é assim não só no rap mas em tudo, A SOCIEDADE É ASSIM!!
Semana passada estive em São Paulo no 2° encontro do HIP HOP MULHER, e pude dividir todas essas coisas com meninas de outras cidades que assim como eu passa pelas mesmas coisas, e até por coisas piores, mas hoje vejo que está melhor que antes, as meninas são mais femininas, não precisam se vestir como homens para ter respeito dos homens da cena.

Hebreu - Qual a Importancia da Oficina de Hip Hop do Lindomar 3L na sua Vida?

Jessica: Lindomar é um amigão!! Ele mora pertinho da minha casa, e me chamou pra ir na oficina, gostei demais mesmo, e participo sempre quando posso, sempre levo minhas letras, agente debate temas importantes pros jovens da oficina, de vez enquando tento um free stylee com os meninos da oficina e é muito divertido, e vejo que lá não é só uma “escola do rap” mas é também uma forma de tirar os moleques da rua, pois aqui no bairro, é muito forte o lance das drogas, crime, e tudo mais, e isso também querendo ou não é uma forma de canalizar os problemas dos meninos que eles já enfrentam mesmo sendo tão jovens, é melhor um jovem com um microfone na mão se expressando e desabafando do que com uma arma na mão ou então usando craque, acho que essa oficina é importante, pois o bairro também é muito mal visto pelo resto da cidade.

Hebreu - Fale Sobre seus Projetos, vi q vc quer Montar uma Banda de Rap Procede?

Jessica: sim...Mas ta difícil, não consigo achar músicos...

Hebreu - Conti ao Pessoal Sobre sua Vinda a Sao Paulo, para o Encontro do Hip Hop Mulher, e Fale como vc Conseguiu Cantar na Casa de Hip Hop de Diadema?

Jessica: Fui no final de Julho para o 2° encontro do hip hop mulher que reuniu mulheres de vários lugares do Brasil, mc’s, graffiteiras, BGirls, Dj’s, tivemos oficinas feito por mulheres dos 4 elementos no 1° dia de evento, e a noite acabei indo no show do Criolo Doido e Rashid, distribui alguns cdzihos artesanais, foi bem massa, e no 2° dia discutimos mais o lance da informação e do conhecimento, discutimos, violência contra mulher, tráfico de mulheres, tráfico de pessoas, abuso sexual, e tudo que envolve o tema gênero, tivemos oficina também de africanidades e até aprendemos a fazer turbantes, foi demais mesmo! A noite no 2º dia coincidiu de ser o aniversário de 11 anos da casa do Hip Hop em Diadema, e algumas amigas me chamaram pra ir pois iria ter um monte de atrações intereçantes, então eu fui e como sempre levei o cdzinho de base que carrego na bolsa, então o EMICIDA não foi , ele seria a ultima atração da noite, foi então que o Dandan falou, “nenhuma menina veio fazer free stylee nem nada, tem alguma que faz som aqui?” Foi então que minhas amigas falaram que eu queria cantar, ai peguei o cd de base e fiz um som lá, o pessoal parece ter gostado...Foi bem massa...hehehehehehe adorei conhecer São Paulo, foi a primeira vez que fui viajar sozinha, achei legal, mas senti saudade da calmaria que é Uberaba...hahahaha São Paulo é frenético...



Pra Terminar a Entrevista vo termina com Bate Bola rapido


Um Livro?

Jessica: O mundo de Sofia

Uma Musica?
Nossa são tantas...

Dilma (Presidenciável)?

Jessica: sim...

Dina Di?
Guerreira, eterna...

Jessica Valeriano?

Jessica: Sonhadora que tem o pé no chão.

Obrigado Pela Entrevista e Deixa Um Salve e uma Mensagem aos Leitores do Blog Noticiario Periferico

Jessica: Salve ai para Blog Noticiario Periferico eu que agradeço o espaço, e apoio muito essa atitude de fortalecer a cena e mostrar as pessoas novas que estão surgindo no rap (assim como eu), obrigada a vocês caros leitores  por  ler essa entrevista, um grande abraço a todos, é nóizz!!! Tamo  junto...
Pra Ouvir e Entrar em Contaro com a Jessica

0 comentários:

 

Hebreu Suburbano Copyright © 2011 - |- Template created by O Pregador - |- Powered by Blogger Templates